quarta-feira, março 29, 2006

Desonestidade dos provincianos da capital

Image hosting by Photobucket


É por estas e por outras que eu cada vez os detesto mais...Num jogo onde uma equipa podia ter espetado uma humilhação histórica à equipa da casa, os Avantes não arranjaram melhor do que colocar em primeira página um alegado penálti a favor dos provincianos da capital. É fantástico. Já não me lembro de ver um jogo com tantas oportunidades flagrantes...o resultado correcto era um 11- 3 a favor do Barcelona...nunca vi igual, jogadores do Barcelona isolados por n vezes só com o guarda-redes pela frente , com a baliza toda escancarada e só conseguiam atirar à figura do guarda-redes, que diga-se...foi a melhor não-contratação do FCPORTO neste defeso...que grande barrete seria se tivesse vindo...um DECO muito fraquinho, a querer exibir-se coisa pouco habitual nele...e depois o tal alegado penálti...quase toda a gente diz que é mão na bola...mas na repetição vê-se bem que quando Simão remate ele já têm os braços nessa posição, posição defensiva...se depois deliberado ou não , não sei...mas o que sei é que o Avante Lampião não colocou na sua primeira página no Benfica - Liverpool:

EU VI

TU VISTE

TODOS VIRAM

ABOLA NÃO VIU

O PENÁLTI CLARÍSSIMO DO LUISÃO SOBRE FOWLER



E já agora em Liverpool:

EU VI

TU VISTE

TODOS VIRAM

ABOLA NÃO VIU

O LUISÃO A JOGAR DUAS VEZES COM A MÃO



E ainda:


EU VI

TU VISTE

TODOS VIRAM

ABOLA NÃO VIU

0-0, O PENÁLTI DO SIMÃO



e finalizando:


EU VI

TU VISTE

TODOS VIRAM

ABOLA NÃO VIU

O GOLO ANULADO AO LIVERPOOL DEPOIS DO PERU DO MORETO


Não os ouvi nessa altura...palhaços!!!


Estou confiante para a 2ªmão...Menos que 5-0 é derrota...só quero que o Barcelona aproveite 1/10 das oportunidades que teve ontem!!!

terça-feira, março 28, 2006

MIGUEL SOUSA TAVARES - EXCLUSIVO

Image hosted by Photobucket.com

O SPORTING CLUB CALIMERO


Na Luz, ouvi Co Adriaanse dizer que o Benfica tinha ganho porque tinha sido melhor.Quando será que ouviremos os grandes senhores do Sporting algum dia dizerem coisa semelhante?



1- Nunca assisti, e seguramente nunca irei assistir em dias da minha vida, a um jogo em que o Sporting perca e a culpa não seja do árbitro. Sucedem-se os presidentes, os dirigentes, os treinadores e os jogadores, e a culpa dos maus resultados nunca é deles, mas sempre dos árbitros. Já faz parte da cultura sportinguista, está de tal maneira entranhado naquelas almas que já nem se dão conta das figuras ridículas, às vezes mesmo patéticas, que fazem. A única vez, nos últimos anos, que alguém desafinou na orquestra caíram-lhe todos em cima indignados. Foi quando Filipe Soares Franco se lembrou de dizer o que toda a gente, menos os sportinguistas, tinham visto: que, no derby lisboeta do ano passado, não foi o Luisão que fez falta sobre o Ricardo, mas o Ricardo que saiu em falso a uma bola alta - coisa que não é assim tão rara.

Agora, a propósito do jogo da Taça com o FC Porto, lá veio o Ricardo dizer que só não ganharam porque "não nos deixaram ganhar". O árbitro, pois claro. Até podia ser que fosse verdade que o árbitro os tivesse prejudicado, mas nem assim isso teria impedido que o Sporting pudesse ter ganho, bastando para tal que tivesse jogado mais ao ataque e não apenas no sistema Liedson resolve, que parece ser o único que conhece; ou que tivesse procurado e criado mais oportunidades de golo, em lugar de se limitar a esperar por um erro do adversário, conforme sucedeu; ou, mais simples ainda, que o João Moutinho tivesse convertido o penalty que o Baía defendeu ou que o próprio Ricardo tivesse conseguido defender apenas um dos cinco penalties convertidos pelos portistas. Mas não: a verdade fica melhor servida se se disser que foi o árbitro que não os deixou ganhar.

E, então, o que fez de tão terrível o árbitro, Olegário Benquerença? Não assinalou um canto a favor do FC Porto na primeira parte e um a favor do Sporting na segunda; deixou passar um lance duvidoso do Tonel sobre o McCarthy na área sportinguista, que eu não acho que tivesse sido suficiente para penalty, mas que, ao contrário não deixaria de ter sido reclamado como tal pelos sportinguistas; deixou passar uma mão do Pepe que seria penalty, se de facto ocorreu dentro da área, mas que é precedida imediata mente de uma falta do Polga sobre o McCarthy, que permite lançar o contra-ataque; mostrou e bem o segundo amarelo ao Caneira, quando ele, já tudo sanado, resolveu ir meter-se numa discussão entre o Rodrigo Tello e o Raul Meireles, tendo todos logicamente visto o cartão; e expulsou o Bosingwa por uma falta que ele não cometeu. Eis tudo. É preciso lata, descaramento e total falta de desportivismo para vir dizer no fim que foi o árbitro que não os deixou ganhar. A obsessão pelos árbitros é tamanha, entre as gentes do Sporting, que, ainda o jogo da Taça mal tinha acabado e já os dirigentes sportinguistas se estavam a queixar do próximo árbitro, para o jogo do campeonato, em casa e contra o pobre Penafiel! Faz-me lembrar a anedota daquele anarquista que a cada país que chegava perguntava: "Há governo? Se há, eu sou contra."

2- Quando me acusam de ser um portista faccioso, eu rio-me por dentro. É que eu, pelo menos, não escondo que sou portista e é nessa exclusiva qualidade que aqui escrevo. Mas o que dizer dos supostos imparciais e independentes que também escreveram que o Sporting tinha justas reclamações da arbitragem de Olegário Benquerença? Eu, pelo menos, reconheço que o jogo não valeu nada, o Porto não jogou nada e, mais uma vez, Adriaanse demonstrou uma total falta de ideias e de estratégia para ser capaz de ganhar um jogo importante. Mas eles acaso viram um Sporting dominador, a jogar bem, a criar oportunidades e a não ganhar por culpa do árbitro? Porquê que aos protagonistas do FC Porto nunca ninguém se lembra de perguntar se têm queixas da arbitragem e aos do Sporting são todos questionados sobre isso: o presidente, o vice-presidente, o candidato a presidente, o director do futebol, o adjunto, o treinador e os jogadores, só faltando o massagista e o roupeiro? Porquê que, quando eles se queixam que ficou um penalty por marcar, ninguém tem coragem de lhes lembrar que a jogada começa numa falta que ficou por marcar contra o Sporting? Porquê que, quando o Ricardo diz que não ganharam porque não os deixaram, ninguém tem coragem de lhe dizer que se ele tivesse conseguido defender um dos penalties, como o Baía fez, podiam ter ganho? Porquê que quando o Paulo Bento tem o desplante de se queixar da inferioridade numérica, ninguém se atreve a lembrar-lhe que ela durou exactamente um minuto de jogo jogado?

E o que dizer da miserável história inventada pelo Record da bola supostamente atirada pelo Baía à cara do Ricardo? Olhem bem para a fotografia: vê-se a mão do Baía em posição de quem acabou de lançar a bola devagar na vertical para que o Ricardo a agarre tranquilamente; e vê-se o Ricardo de braços caídos e a desviar a cara. Das duas, uma: ou o Ricardo não tem reflexos para agarrar uma bola que qualquer criança agarraria e então não se percebe que seja um guarda-redes tão extraordinário como dizem que é, ou então fez de propósito para fazer passar por agressão o que só com toda a má-fé do mundo pode ser visto como tal. Mas, pelos vistos, houve quem quisesse ver isso mesmo. É gente que, do futebol só gosta de inventar casos e suspeitas e suscitar lamúrias e queixumes de maus perdedores. É a gente que tem dado cabo do futebol português.

Ainda bem que eu nunca serei presidente do FC Porto. É que se o fosse, acho que um dia acabava por perder a paciência e retirava a equipa das competições. Deixava os cavalheiros e os regeneradores a falar sozinhos e a dividirem entre si os campeonatos, como nos tempos do antigamente, de que eles têm tantas saudades.

3- E assim, estudadamente, vai-se preparando o ambiente para o Sporting-Porto de 8 de Abril. Vai-se preparando o ambiente propício à nomeação de um Lucílio Baptista ou semelhante. Há duas coisas que eu seria capaz de apostar acerca desse Sporting-Porto que aí vem: uma, é que o FC Porto não vai acabar o jogo com onze jogadores; outra é que, se o Sporting não ganhar, todo o seu povo vai atribuir as culpas ao árbitro.

Na Luz, depois de perder com o Benfica, ouvi Co Adriaanse dizer uma coisa, com a qual nem sequer concordei, mas que, de forma alguma me irritou: que o Benfica tinha ganho porque tinha sido melhor. Quando será que ouviremos os grandes senhores do Sporting algum dia dizerem coisa semelhante?

Os 33 penáltis do sistema

Image hosting by Photobucket

José Manuel Ribeiro, Sábado no Ojogo:


Se eu fosse dirigente ou treinador do Sporting e achasse a expulsão do Caneira fundamental para o resultado da Taça, o alvo principal da minha revolta seria o jogador expulso. Olegário Benquerença podia ter cometido (não cometeu) a maior injustiça da História, mas, por maior que fosse a sua pré-determinação, não seria capaz de tanto sem a quota-parte do defesa. O episódio é semelhante ao primeiro dos dois vermelhos espirituosos que João Ferreira tirou do bolso há um ano, em Alvalade: caso McCarthy tivesse permitido, como qualquer “chaise longue”, que Rui Jorge se mantivesse sentado em cima dele – e não lhe teria caído nada por isso -, talvez houvesse outro campeão nacional neste momento. Ou seja, se Caneira andasse no futebol há uns anos e soubesse que para ver o segundo amarelo basta o primeiro, talvez tivesse evitado meter-se em espalhafatos. Como ele não sabe, convém ensiná-lo. Ser profissional também é sopesar os riscos.

Mas as intenções do Sporting não são pedagógicas nem pretendem prevenir futuros erros de dentro para fora. Suportado por uma permanente certeza absoluta nos juízos de intenção que faz, ao jeito do que sucedeu agora com a mão de Pepe, exige sempre tê-los resolvidos de fora para dentro. Ainda que seja um exagero e um abuso afiançar que a tradicional histeria sportinguista é calculada, os resultados deste condicionamento dos árbitros, para nos limitarmos apenas aos quatro anos que dura o esganiçado “sistema” do agora insensato Dias da Cunha, são mensuráveis: trinta e três penáltis no campeonato contra dezassete do FC Porto. Falta um para ser o dobro. Jogadores diferentes, mais dribladores, menos dribladores, treinadores diferentes, conclusão invariável: o Sporting embucha sempre muito mais grandes penalidades no decorrer da época do que qualquer outra equipa; em alguns anos, mesmo mais do que qualquer equipa na Europa.

Pensando bem no assunto, até é provável que tenha razão agora e que, por isso, não veja normalmente motivos para pedir cuidado aos seus Caneiras. Não devem ser os deste jogo com o FC Porto os critérios a que está habituado.

Rio Ave-Benfica
Paraty: o inquérito?


A respeito da arbitragem de Paulo Paraty no Rio Ave-Benfica, ressuscitado hoje por Pinto da Costa, escreveu-se menos numa semana do que sobre o FC Porto-Sporting em dois dias. Entre o que não se escreveu está uma pergunta importante. Tomando por verdadeira a notícia, nunca desmentida, de que foi entregue a Luís Guilherme um dossiê destinado a provar que o árbitro assumiu, em público e diante de testemunhas, o objectivo de prejudicar deliberadamente um clube, onde pára o inquérito? Ou alguém com o juízo todo achará possível que, a provar-se semelhante acusação, um árbitro possa dirigir mais um jogo de futebol que seja?

segunda-feira, março 27, 2006

Bilhar: Quase BI-CAMPEÕES!!!

Image hosting by Photobucket
(imagens "scanadas" por mim do Ojogo)

FC Porto 3 - Norton de Matos 1

Ao vencer o Norton de Matos por 3-1, o FC Porto está a uma vitória de revalidar o título, a duas jornadas de terminar o campeonato. Na sala dos portistas assistiu-se a um jogo espectacular, o melhor dos últimos anos em Portugal.

Semih Sayginer-Marco Zanetti /24-50 (17 entradas) (1h35m)
Ramon Rodriguez-Murat Tuzu/50-46 (38 entradas) (2h20m)
Rui Manuel-Mário Gonçalves/50-30 (38 entradas) (2h10)
Santos Oliveira-Paulo Andrade/50-43 (31 entradas) (2h12m)

CLASSIFICAÇÃO:

1° FC Porto 46
2° Norton de Matos 44
3° Sporting 34
4o Leixões 34
5» Leça 32 16
6° CB Amadora 31
7ªALAB 26 16
8° Ginásio do Sul 25
9» Benfica 23
10° Casa Tomar 21


O mais notável é esta frase, que deve ter deixado o Traficante lampião em pulgas:

Ramon Rodriguez:

"Ser dragão é uma honra"

"A diferença da primeira para a segunda parte do jogo foi ter tido um pouco menos de azar... fui infeliz no começo, com muitas posições difíceis e quando isso acontece gera alguma insegurança. Na segunda parte as bolas começaram a rolar melhor e aquela tacada de 12 foi muito importante porque estava muito atrás e passei para a frente. Estou muito contente por jogar neste clube, desde o momento em que fui convidado pelo meu amigo Alípio. O FC Porto é muito querido no Peru, só comparável ao Barcelona, desde que jogou cá o Cubillas, um ídolo no meu país.

É um clube campeão mundial, com um currículo invejável... ser dragão é uma honra."

ACADÉMICA 0 - FCPORTO 1

Image hosted by Photobucket.com


Vitória importantíssima, estabelecida por um jogador que eu não admiro, Hugo Almeida, beija demais o anel, ou coisa parecida, irritante..entra em jogo, beija, faz um mau remate beija, faz um amau passe beija...marca um golo beija...vá lá aqui aceita-se... mas que foi decisivo para a vitória final. Parabéns para ele. Aquela pressa em meter Ricardo Costa substituindo McCarthy logo após o golo, deu-me arrepios, e fez-me lembrar outros filmes já vistos...vá lá...correu bem.

Aluga-se GUARDA-REDES DE CLASSE MUNDIAL!!!! É um desperdício ter dois guarda-redes daquela categoria e um ter que ficar no banco...é um crime!!! Quanto aos critérios do Co Adriaanse, não vou comentar pois ninguém os compreende...

Nota1: Nelo Vingada não se queixou do árbitro...facto inédito nos jogos contra o FCPORTO, onde costume ficar com muita azia...

Nota2: Esperemos que a lesão do Lucho não seja muito grave...

Nota3: Mais uma vez na lampiolândia um PENÁLTI NÃO MARCADO A FAVOR DO BRAGA, por falta do sarrafeiro-mor Petit...Não ouço o jagunço-penhorado sôr Zé !!???Por que será??

Nota4: Jogando porcamente mal...há no entanto que dar os Parabéns ao guarda-redes do Sporting que estava na baliza do Penafiel...cumpriu o que estava no contrato!!! Quanta discussão não dava isto se o jogador fosse de outro clube...

TOP Marcadores FCPORTO:

Lucho 9 golos ( 1 Taça)
Lisandro 6 golos
McCarthy 6 golo ( 3 Taça)
César Peixoto 4 golos
Quaresma 4 golos
Adriano 4 golos
Hugo Almeida 4 golos
Jorginho 3 golos
Diego 2 golos ( 1 Taça)
Raúl Meireles 2 golos
Ricardo Costa 1 golo
Alan 1 golo
Ivanildo 1 golo (1 Taça)
Pepe 1 golo

TOP Disciplina FCPORTO:

Bruno Alves 1 vermelho directo, 2 amarelo (1 Taça) ( 2 jogos castigo, 2 cumpridos)
Pepe 1 vermelho: acumulação de amarelos , 6 amarelos ( Taça: 1 amarelo e 1 vermelho:a.a)
Bosingwa 1 vermelho: acumulação de amarelos, 2 amarelos (Taça: 1vermelho:a.a)
Paulo Assunção 10 amarelos ( 1 Taça)
Pedro Emanuel 6 amarelos
Quaresma 7 amarelos ( 2 Taça)
Raul Meireles 6 amarelos ( 2 Taça)
Ricardo Costa 5 amarelos ( 1 Taça)
Cesar Peixoto 4 amarelos - PERIGO DE SUSPENSÃO
McCarthy 4 amarelos ( 1 taça) - PERIGO DE SUSPENSÃO
Marek Chech 4 amarelos ( 2 Taça) - PERIGO DE SUSPENSÃO
Lucho Gonzalez 3 amarelo ( 1 Taça)
Jorginho 2 amarelos
Sonkaya 2 amarelos ( 1 Taça)
Lisandro 2 amarelos ( 1 Taça)
Hugo Almeida 1 amarelo
Bruno Alves 1 amarelo
Ibson 1 amarelo
Diego 1 amarelo
Vitor Baía 1 amarelo


MODALIDADES

Image hosted by Photobucket.comImage hosted by Photobucket.comImage hosted by Photobucket.com

ANDEBOL

1ªMÃO DOS QUARTOS-DE-FINAL DO PLAY-OFF

ESPINHO 20 - FCPORTO 27

FCPORTO 1
ESPINHO 0


BASQUETEBOL

AVEIRO BASKET 60 - FCPORTO 82

1ºOVARENSE 80%
2ºFCPORTO 71,42%
3ºOLIVEIRENSE 71,42%


HOQUEI EM PATINS

PORTOSANTENSE 5 - FCPORTO 2

1ºFCPORTO 58
2ºBENFICA 52
3ºÓ. BARCELOS 50

EQUIPAS APURADAS PARA A POULE A, GRUPO ONDE QUE SERÃO DISPUTADOS O TÍTULO NACIONAL E LUGARES NA COMPETIÇÕES EUROPEIAS:
FCPORTO-BENFICA-BARCELOS-OLIVEIRENSE-J.VIANA-CANDELÁRIA.



FUTEBOL JOVEM

Image hosted by Photobucket.com


FCPORTO B

FCPORTO B 0 - Paredes 1

1ºESPINHO 39
9ºFCPORTO B 27 (-1 jOGO)


JUNIORES A

FCPORTO 6 - Infesta 2

1ºBOAVISTA 53
2ºFCPORTO 47
3ºLeixões 4


JUNIORES C

2ªFASE - 2ªJORNADA:

FCPORTO 6 - Beira-Mar 0

1ºFCPORTO 6
2ºMARÍTIMO 3
3ºBRAGA 3
4ºBEIRA-MAR 0

sexta-feira, março 24, 2006

HAJA VERGONHA NA CARA

Image hosting by Photobucket

TOP Marcadores FCPORTO:

Lucho 9 golos ( 1 Taça)
Lisandro 6 golos
McCarthy 6 golo ( 3 Taça)
César Peixoto 4 golos
Quaresma 4 golos
Adriano 4 golos
Hugo Almeida 3 golos
Jorginho 3 golos
Diego 2 golos ( 1 Taça)
Raúl Meireles 2 golos
Ricardo Costa 1 golo
Alan 1 golo
Ivanildo 1 golo (1 Taça)
Pepe 1 golo

TOP Disciplina FCPORTO:

Bruno Alves 1 vermelho directo, 2 amarelo (1 Taça) ( 2 jogos castigo, 2 cumpridos)
Pepe 1 vermelho: acumulação de amarelos , 6 amarelos ( Taça: 1 amarelo e 1 vermelho:a.a)
Bosingwa 1 vermelho: acumulação de amarelos, 2 amarelos (Taça: 1vermelho:a.a) - SUSPENSO DO PRÓXIMO JOGO
Paulo Assunção 10 amarelos ( 1 Taça)
Pedro Emanuel 6 amarelos
Quaresma 7 amarelos ( 2 Taça)
Raul Meireles 6 amarelos ( 2 Taça)
Ricardo Costa 5 amarelos ( 1 Taça)
Cesar Peixoto 4 amarelos - PERIGO DE SUSPENSÃO
McCarthy 4 amarelos ( 1 taça) - PERIGO DE SUSPENSÃO
Marek Chech 4 amarelos ( 2 Taça) - PERIGO DE SUSPENSÃO
Lucho Gonzalez 3 amarelo ( 1 Taça)
Jorginho 2 amarelos
Sonkaya 2 amarelos ( 1 Taça)
Lisandro 2 amarelos ( 1 Taça)
Hugo Almeida 1 amarelo
Bruno Alves 1 amarelo
Ibson 1 amarelo
Diego 1 amarelo
Vitor Baía 1 amarelo


Por motivos profissionais não pude ver o jogo, só conseguir ouvir o relato pela RR e mesmo assim nem sempre muito atento. Mandei gravar e só ontem à noite vi o jogo, depois de já ter visto as reportagens no Jornal da Tarde e Telejornal da RTP1. Depois de ver o jogo, devo dizer que o lagarto Pedro Sousa da RR - que estava a acompanhar o jogo pela TV e ía dando informações ao Pedro Azevedo e Bernardino Barros- foi a coisa mais facciosa que já ouvi nos últimos tempos. Quem o ouvisse, o penálti de Pepe era claríssimo , já o alegado penálti de Polga sobre McCarthy também era claro que não houve, os foras-de-jogo segundo os seus olhos lagartos eram todos mal marcados quando o SCP atacava, até me lembro de um caso onde disse que era imcompreensivel como não tinha marcado canto a favor do SCP, dizendo que toda a gente viu que o último tinha sido o jogador do FCP, quando ontem ao ver o jogo, o que se vê é que Liedson foi o último a tocar na bola. Incrível como o fanatismo clubístico atingiu estes tipos.Engraçado é que no início do jogo há um canto favorável do FCP, transformado em pontapé de baliza e ninguém o ouviu... Mas foi este festival durante todo o encontro, e quando Bosingwa foi expulso por uma falta que não cometeu, lá foi dizendo que se calhar não tinha tocado, mas de uma forma muito enjoado, tentando menosprezar. Perante tudo isto, depois de Vitor Baía ter defendido e Lisandro Lopez ter marcado o decisivo eu quero dedicar esse golo ao lagarto Pedro Sousa com a sua frase habitual: " JÁ ESTÁ...JÁ ESTÁ...Goooolllllllloooooo!!!!!"

Tal como eu previa, o carácter dos Viscondes Falidos aí está em todo o seu esplendor...Depois de jornadas atrás de jornadas a serem levados ao colo, como o meu post anterior elucida...por isso é que estavam muito calados...Era o GRANDE PAULO BENTO...pois era e a GRANDE APAF... bastou uma derrota para tentarem justificar tudo com a arbitragem, QUANDO TÊM HAVIDO ARBITRAGENS ESCANDALOSAS A BENEFICIÁ-LOS, onde se calaram muito bem . Vamos lá ver:

- 14´PENÁLTI sobre McCarthy por falta de Polga. Como diz SD:" Polga empurra McCarthy com o cotovelo". è uma quetão de intensidade!!! Igualzinho a tantos outros que Sporting têm beneficiado este ano. Como os jogadores do FCP este ano estão proibidos de protestarem até parece que não houve nada...o SÔR PAULO BENTO, o Administrador VISCONDE FALIDO MEIRELES não viu...

- 27´ AQUI ESTÁ UMA MENTIRA REPETIDA MUITAS VEZES QUASE QUE SE TORNA VERDADE. Em primeiro lugar, Adriano sofre uma falta a meio campo que o árbitro não marca ( o Sôr P.Bento e o Sôr Meireles não deram por isso)...depois é feito um passe para Liedson que dá a impressão que está em fora-de-jogo ( não estava pelas imagens)...mas depois vêm a anedota do jogo, o alegado penálti por mão de Pepe. Qual penálti ??? Quantas imagens querem ??? Mesmo com as imagens aí aos molhos, os sôrs Administradores dos Viscondes Falidos à tarde, noite reafirmam o penálti não marcado. Bem que havia um circo na segunda circular já se sabia que do outro lado havia tantos palhaços era previsivel, que fossem tantos é que é uma novidade. Gostava de saber o que é que esse tipo de gente estava a fazer na Tribuna presidencial ao lado de Pinto da Costa? Saudades da Carolina? E troca-a por palhaços???

- 112´ Expulsão de Caneira. Ouvir as palavras do sôr Paulo Bento é hilariante. Primeiro não compreendem porque viu o segundo amarelo. Eu explico: Houve uma confusão entre o Raul Meireles e Deivid. O sôr Caneira resolveu envolver-se na confusão agitando ainda mais as coisas, tirando satisfações de Raul Meireles. Lucho também entrou na confusão e também foi punido, com amarelo. Caneira já tinha um, foi expulso. Simples. O sôr Paulo Bento e o sôr administrador visconde falido Meireles querer fazer de nós parvos é que não! São ridículas as justificações. Apalermadas!!!

- 118´Expulsão anedótica do Bosingwa. Nem sequer lhe toca....aonde estava o sôr Paulo Bento e o sôr administrador visconde falido Meireles??


RESUMINDO: Um possível penálti contra o Sporting...um jogador do FCPORTO mal expulso...mas no fim os Visconde Falidos fazem-se de vítimas queixando-se de um penálti que não existiu e de uma expulsão tão clara como justa. A arbitragem foi fraca, como o jogo, mas Queriam MAIS DISTO?


SECÇÃO: É PRA RIR ÀS GARGALHADAS

Paulo Bento:
" Um lance decisivo para o jogo foi a expulsão do Caneira"

Eheheheheh...quanto tempo eles jogaram com 10 ??? A expulsão foi aos 112´, o FCPORTO marcou aos 115 ´...Realmente, jogar 2 ou 3 minutos com 10 é uma coisa dramática...imaginem só se ele tivesse jogado 70...sim 70 minutos com 10 com arbitragem do seu consócio Lucilio Calabote Baptista, com expulsões e penáltis que não existiram mesmo!!! Vamo-nos rindo!!!

Paulo Bento:
"Merecíamos ter ganho durante os 120 minutos."

Oh sôr Paulo Bento, que pastilhas o sr. anda a tomar? O FCP dominou grande parte do jogo...63% posse de bola contra 37% do Sporting...17 remates contra 10 do Sporting, não tendo sido muitas as oportunidades do FCP foram muita mais claras que o SCP...Lucho isolado , Adriano po duas ou 3 vezes mandando numa delas a bola ao poste,etc,etc...vir dizer que mereciam ter ganho é pra rir!!!?

Rui Meireles:
" Há um penálti não assinalado a nosso favor "

Oh sôr administrador Visconde Falido, qual das imagens abaixo prefere???Há tantas por aí... Recomendo uma visita à Multiopticas, ou ao Circo Chen passando pelo Magalhães Lemos...

Image hosting by Photobucket

Rui Meireles :
" É lamentável que a equipa de arbitragem tenha visto o Baía a atirar a bola à cara do Ricardo, quando este foi marcar o penálti, e nada tenha feito"

Oh sôr administrador Visconde Falido, em primeiro lugar o Vitor Baía é um senhor, não se mistura com merdas dessas...depois porque o Vitor Baía sabe o quanto é dificil arranjar empregadas domésticas, por isso nunca fazeria isso a um potencial candidato para limpeza do pó dos seus inúmeros troféus conquistados. E sempre seria uma forma do aviário do Montijo estar em contacto com realidades que nunca vai conseguir conquistar. Além Vitor Baía não disse nada demais, como se vê:

Image hosting by Photobucket


SECÇÃO: SUBIU NA MINHA CONSIDERAÇÃO

Liedson:
" Não foi o nosso dia. Fizemos uma belíssima campanha, e estamos de parabéns por isso, mas infelizmente, tinha de haver um vencedor e foi o FCPORTO, que também teve mérito. Parabéns à equipa do FCPORTO. Cheguei aqui com o pensamento de sair vencedor, como sempre, mas infelizmente, hpje não foi o nosso dia. Estivemos bem em todo o jogo, saímos na frente no prolongamento, não conseguimos manter vantagem, mas há que parabenizar a equipa do FCPORTO, que fez um belíssimo jogo também."



NOTA1: PRESSÃO NOJENTA, INADMISSÍVEL DOS LAGARTÓIDES SOBRE O ÁRBITRO DO PRÓXIMO JOGO. EU ATÉ JÁ ESPERO O LUCÍLIO CALABOTE BAPTISTA PARA O NOSSO JOGO EM ALVALADE!!!

NOTA 2: FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL : FCPORTO - SETÚBAL. Parabéns ao Setúbal, dois anos consecutivos na Final da Taça é um grande efeito, mesmo depois de se ter vendido aos lampiões.

quarta-feira, março 22, 2006

Grande Paulo Bento...Assim também eu...

Em dia de jogo contra os Viscondes Falidos, sem querer tirar mérito ao trabalho de Paulo Bento, que o têm sem dúvida,mas para isso muito têm contribuido a APAF. E já há muito que não os ouço a falar no Sistema, porque será? Com o alto patrocínio dos Roubos de Igreja, aqui fica a minha homenagem .

VERSÃO PAULO BENTO:

27ª Jornada (19 Março 2006)

U.Leiria 0 - Sporting 1 ( Bruno Paixão - Setúbal )

- Maciel,Jaime pelo Leiria e Tello pelo Sporting deveriam ter visto cartões vermelhos. Não jogava no Dragão.


Quartos-de-final da Taça de Portugal (15 Março 2006)

Académica 0 - Sporting 2 ( Paulo Paraty - Porto )

- Resultado 0-1. Penálti contra o Sporting não assinalado. Tello(Nani) corta, como os braços, um cruzamento de Luciano.

- Liedson em fora-de-jogo no 2ºgolo sportinguista.


26ª Jornada (12 Março 2006)

Sporting 1 - Boavista 0 ( Elmano Santos - Madeira )

- 63' Penálti contra o Sporting não marcado. Tonel agarrou, puxou e empoleirou-se no Fary, ficando por assinalar um penálti. Diz SD: " Não existe fora-de-jogo, pois, no momento do passe, o Fary está em posição legal. Depois, o Tonel pendurou-se e agarrou o jogador do Boavista."


25ª Jornada (05 Março 2006)

Sporting 2 - Gil Vicente 0 ( Artur Soares Dias - Porto )

- 2´Abel do Sporting arruma com uma pisadela Nandinho...


24ª Jornada (26 Fevereiro 2006)

Académica 0 - Sporting 3 ( Jorge Sousa - Porto )

- Os lagartos estão a bater o record de roubos consecutivos...

- 2´Golo de João Moutinho em claro fora-de-jogo. Começo em beleza...Os árbitros estão com um olho clínico fantástico no que toca a favorecer os lagartos...Além disso,no momento em que se inicia a jogada, estão dois jogadores em posição irregular mas que não interferem na mesma...fosse ao contrário e qualquer uma das 3 infracções tinha sido assinalada...

- 45'+2' Abel devia ter sido expulso, pois com o seu braço esquerdo, atinge Filipe Teixeira e a lei diz que este tipo de agressão deve ser punida com o cartão vermelho. Continuamos a rir...

- 88' Para terminar em beleza. A expulsão de Pedro Roma, e consequente grande-penalidade. O palhaço Liedson logo na pequena-área impede Pedro Roma de colocar a bola em jogo....mas árbitro nada assinala( Diz a lei que estes casos são para cartão amarelo)....mas não satisfeito Liedson corre atrás dele, e torna a tocá-lo no braço, impedindo-o de colocar novamente a bola....e mais uma vez o sr. Árbitro não assinalou e não viu( a lei diz que é cartão amarelo) ...só quando Pedro Roma lhe espetou um murro nos cornos é que o palhaço do árbitro deu por ela. Expulsão e penálti. Assim sim...duas infracções consecutivas do mesmo jogador para amarelo, mas quem é severamente punido é quem reage a tamanha injustiça. E a palhaçada continua...


23ª Jornada (19 Fevereiro 2006)

Sporting 3 - Paços de Ferreira 0 ( Paulo Pereira - V. Castelo )

- 27' Peçanha cometeu grande penalidade sobre Moutinho? Mais um penálti à Sporting esta época, quando as coisas estão dificeis, inventa-se mãos na bola, tentam-se forjar outros tantos e até que se consegue ,como é o caso deste lance em que o guarda-redes joga a bola com o inevitável choque.

- 38' Liedson devia ter visto cartão vermelho, pois agarra Fredy pelo pescoço e mas ambos são admoestados com cartão amarelo. Com diz SD: "Liedson, em vez do amarelo, devia ter visto o vermelho, porque ele aperta o pescoço, na zona da garganta, do jogador do Paços e não se perceber porque este também recebe um amarelo. Esteve mal o árbitro desta vez."

- 89' Abel devia ter sido expulso, pois teve uma entrada por trás sobre um adversário, junto à linha lateral. Com diz JC: " o jogador projectou-se por detrás, atingindo com a sola o adversário. O árbitro, bem, assinalou o respectivo pontapé livre directo, porém a moldura disciplinar prevista, impunha a exibição do cartão vermelho, o que não sucedeu." E assim continuamos a rir e as roubalheiras a favor da lagartagem é um fartote...


22ª Jornada (12 Fevereiro 2006)

Setúbal 1 - Sporting 2 ( João Vilas Boas - Braga )

- 45´Golo anulado ao Setúbal por alegado fora-de-jogo que não existiu...a roubalheira continua.

- 79´Penálti contra o Sporting, por Tonel ter agarrado pelo braço o jogador Fonseca. ...continuamos a rir.

- 86´ Penálti contra o Sporting por alegado mão na bola de Sá Pinto. È dentro do mesmo género com que o Sporting ganhou ao Paredes...


Oitavos-de-final da Taça de Portugal (08 Fevereiro 2006)

Sporting 2 - Paredes 1 ( Paulo Baptista - Portalegre )

- Mais um penalti fantasma por alegada mão na bola, que deu a vitória ao Sporting.


21ª Jornada (05 Fevereiro 2006)

Sporting 1 - Nacional 0 ( Lucílio Baptista - Setúbal )

- 81' Mal expulsão de Alexandre Goulart , por acumulação de cartões amarelos, após ter cometido alegada falta sobre Sá Pinto, pois como diz JC: "A falta que justificou o segundo cartão amarelo é inquestionável e perfeitamente enquadrada no código do jogo. Não se percebeu foi a primeira advertência, porque quem fez então a falta sobre Liedson foi Patacas e não Goulart."

- 90' Tonel faz falta sobre André Pinto dentro da área. Mais um pénalti por marcar. Diz JC : "Tonel ao saltar à bola com o braço direito, foi deliberadamente ao pescoço de André Pinto, agarrando-o e derrubando-o. Motivo para grande penalidade que ficou por assinalar."


20ª Jornada (29 Janeiro 2006)

Benfica 1 - Sporting 3 ( Pedro Henriques - Lisboa )

- 52' Tonel comete grande penalidade sobre Nuno Gomes, carregando-o nas costas. É um questão de intensidade...

- 89´Cartão vermelho por amostrar a Petit por segundo JC:" Entrada frontal, a atingir o adversário com a sola da bota. Felizmente, não em cheio, pois a acontecer, causaria dano significativo. O código determina cartão vermelho e não amarelo."


19ª Jornada (22 Janeiro 2006)

Sporting 1 - Marítimo 1 ( Rui Costa - Porto )

- Os lagartos queixaram-se muito do fim, a fazerem-se de vítimas, mas analisando bem, foram claramente beneficiados, senão vejamos: Golo do Sporting duvidoso, Penálti de Polga não assinalado e umlivre perigo contra o marítimo não existiu...isto é típico nos lagartos, fazerem-se de vítimas quando foram beneficiadas...fantástico...

- 9´O golo do Sporting começa com um lançamento de linha lateral de Carlos Martins, quando os jogadores do Marítimo pediam uma falta. Agiu bem o árbitro? Como diz AR:"As imagens que nos foram dadas a observar não nos dão garantias de que tenha havido falta do jogador do Sporting. Estando o auxiliar mais perto do lance, concedo-lhe o benefício da dúvida."

- 23' Penálti contra o Sporting não assinalado.No cruzamento de Marcinho, a bola parece embater no braço de Polga. Como dis JC: "Diga-se antes que Polga jogou a bola deliberadamente com o braço. Falta sancionável com grande penalidade, que a equipa de arbitragem não assinalou."

- 84' É mal assinalado um livre indirecto que pune um atraso de Mitchell para Marcos. Como diz JC: ". O sportinguista jogou a bola precipitadamente, esta sobrou para a zona de Mitchell, que, em corrida, a tocou. O guarda-redes, ao segurar a bola com a mão, poderia fazê-lo, pois não houve um atraso deliberado."


18ª Jornada (15 Janeiro 2006)

Belenenses 0 - Sporting 1 ( João Ferreira - Setúbal )

- 59' Tonel intercepta com o braço, na área, um remate de Pelé. O árbitro fez bem em deixar seguir o jogo, considerando ter sido um corte não intencional? Parece que foi um lance não intencional, mas se fosse ao contrário o árbitro teria o mesmo critério?


5ª Eliminatória Taça de Portugal (11 Janeiro 2006)

Sporting 2 - Vizela 1 ( Nuno Almeida - Algarve )

- No outro lado da circular a palhaçada também foi igual, com Liedson a ser-lhe perdoada a expulsão, etc,etc: Carlos Garcia, treinador do Vizela: " Na dúvida, fomos prejudicados ".


17ª Jornada (08 Janeiro 2006)

Braga 3 - Sporting 2 ( Jorge Sousa - Porto )

- Uns cartões amarelos por amostrar a Tonel , Caneira, Davide... nada de grave...


16ª Jornada (21 Dezembro 2005)

Sporting 3 - Rio Ave 0 ( António Costa - Setúbal )

- Há a assinalar um pretensa expulsão não realizada por falta de Danielson sobre João Moutinho...


15ª Jornada (18 Dezembro 2005)

Naval 0 - Sporting 2 ( Paulo Paraty - Porto )

- Nada a assinalar...aos 74´ há um corte involuntario com o braço de Fernando...nada mais...


14ª Jornada (11 Dezembro 2005)

Sporting 0 - Estrela da Amadora 1 ( João Vilas Boas - Braga )

- 92+2´Como as coisas estavam dificeis, toca a inventar um pénalti, quando a falta foi fora da área. É o Sistema... Azar...falhou...


13ª Jornada (4 Dezembro 2005)

FCPORTO 1 - Sporting 1 ( Lucílio Baptista - Setúbal)

- 51´ Golo anulado a Lisandro. Faz falta? As imagens não esclarecem, mas vindo do Lucílio Calabote, é de prever que não existiu falta...

- 61´ Pénalti sobre Quaresma , por braço de Polga. Claríssimo, mas mais uma vez Lucílo Calabote e a sua trupe não marca nada...

- 75´ César Peixoto corta a bola com o braço, difícil de descortinar. Era penalti. Lucílio Calabote não viu mesmo, caso contrário já sabemos o seu historial nos jogos do FCPORTO.

- 84´ Pénalti sobre Lisandro. Para terminar em beleza, Lisandro é agarrado na área por Sá Pinto.

- Um festival de Lucílio Baptista: 2 pénaltis e um golo anulado ao FCPORTO. Está na média do que costume fazer nos jogos contra o FCPORTO. Quem não se lembra dos 4 penaltis não marcados em Alvalade, aliás Alvalade palco de outras anedotas do mesmo Lucílio, bem como o jogo no Dragão contra o Boavista : Uma Expulsão perdoada ao Boavista...Um Penálti não marcado...O golo do Boavista Irregular. O costume.

- FC Porto-Benfica: Lucílio Baptista. FC Porto-Sporting: Lucílio Baptista. Últimos seis jogos FC Porto- Sporting ou vice-versa: cinco vezes Lucílio Baptista. Investiguem.


12ª Jornada (27 Novembro 2005)

Sporting 2 - Guimarães 0 ( Elmano Santos - Madeira )

- Carlos Martins deveria ter sido expulso aos 39 minutos, com o segundo cartão amarelo, depois de uma falta clara para amarelo. Por acaso, ele que deveria ter sido expulso, deu a marcar o 1ºgolo e marcou o 2º. Biba o Sistema do Fífias da Cunha. Continua bem vivo, mesmo depois da sua saída...

- Aos 82´Dário não estava em fora-de-jogo quando se isolava...


11ª Jornada (20 Novembro 2005)


Penafiel 0 - Sporting 1 ( Bruno Paixão - Setúbal )

- 6´Penalti sobre Liedson? Por acaso a bola estava em jogo?E quantas situações ocorrem nos jogos iguais a esta, os jogadores a agarrarem-se mutuamente?

- O Paixão trocou os cartões...Custódio apanhou um amarelo que quem devia ter levado era o Polga.


10ª Jornada (6 Novembro 2005)

Sporting 2 - Leiria 1 ( Augusto Duarte - Braga )

- 30´ Golo incrível invalidado ao Leiria, quando a bola estava completamente dentro da baliza.


9ª Jornada (30 Outubro 2005)

Boavista 2 - Sporting 2 ( Joao Ferreira - Setúbal )

- 16´ Beto comete penalti ao puxar Fary pelo braço.

- 24´O pontapé de canto de que nasce o golo do Sporting não existe...era pontapé de baliza, claro.

- 25´Beto faz falta sobre Cadu no lance do 0-2 para o Sporting, apoia-se em Cadu ganhando posição e impedindo o adversário de saltar. Continua a roubalheira.


8ª Jornada (23 Outubro 2005)

Gil Vicente 2 - Sporting 2 ( Paulo Costa - Porto )

- 25´Beto e Gregory agarram-se mutuamente...não há´motivos para pénalti.

- 35´Marcos António comete pénalti, jogando a bola com o braço.

- 45+1 No lance do golo Sporting Douala está fora-de-jogo. Golo irregular.


VERSÃO PESEIRO:

7ª Jornada (16 Outubro 2005)

Sporting 0 - Académica 1 ( Paulo Paraty - Porto)

- Aos 71´e 82´ e 90+1´João Alves , Tello e Polga deviam ter visto cartões amarelos, mas nada...

- 86´A falta de Nuno Piloto sobre Wender é fora e não dentro de área como os lagartos queriam...


6ª Jornada (03 Outubro 2005)

Paços de Ferreira 3 - Sporting 0 ( Carlos Xistra - Castelo Branco )

- 12´Falta para cartão amarelo de Liedson não punida...

- 37´Pénalti contra o Sporting não assinalado, por falta claríssima de Polga sobre Edson. Incrível.

- 45´Ronny faz falta sobre Deivid, encavalitando-se no jogador sportinguista. Seria pénalti.


5ª Jornada (25 Setembro 2005)

Sporting 1 - Setúbal 0 ( Paulo Baptista - Portalegre)

- 19´ Pénalti e expulsão do guarda-redes do Setúbal. Sobre este lance uma dissertação interessante do MST:"Ao minuto 19 do jogo de Al-valade o árbitro Paulo Baptista resolveu o jogo a favor do Sporting, assinalando penalty contra o Vitória e expulsão do guarda-redes setubalense. Resolveu-o, diga-se, de acordo com as regras e, portanto, nada há a di�zer contra a decisão dele: consi�derou que Deivid foi tocado pelo guarda-redes, quando estava em posição de marcar golo, e, sendo assim, as regras mandam que as�sinale penalty e mostre o verme�lho ao infractor. Não é a decisão do árbitro que está em causa mas a própria regra. Esta regra é equívoca, injusta e contra o espectáculo.

- Equívoca porque exige do árbitro um juízo de valor totalmente subjectivo, as mais das vezes fun�dado num palpite: o jogador derrubado estaria ou não em posição flagrante de poder marcar golo? Cada cabeça sua sentença - o que, numa decisão de tal forma gravosa, não é recomendável...

- Injusta porque, na prática, equivale a duas penalidades máximas na mesma jogada: a expulsão directa e o penalty. Faz muito mais sentido que o vermelho directo seja mostrado fora da área, a quem derruba um jo�gador que se vai isolar, que dentro da área. Porque, dentro da área, o penalty dá quase sempre como resultado um golo, en�quanto o livre fora da área só raramente tem essa consequência. Um critério de adequação da justiça estabeleceria como regra que este tipo de jogada, se cometido fora da área, devia dar lugar a livre directo e expulsão e, se cometido dentro da área, a penalty e cartão amarelo.

- Enfim, a regra em vigor contribui claramente para estragar o espectáculo, já que oferece uma clara oportunidade de golo a uma equipa e, simultaneamente, uma superioridade numérica que, se adquirida logo de início, como sucedeu em Alvalade, desequilibra o jogo e condena a equipa do infractor a remeter-se à defesa até final.

- Mas esta regra tem também um mal acrescido: é que, ponderando todas as suas consequências para o próprio jogo, há muitos árbitros, incluindo alguns dos mais conceituados do Mundo, que se recusam a aplicá-la em todo o seu rigor: ficam-se pelo penalty e pelo amarelo. Mas como, apesar de muitos, não são todos, e há sempre os outros, como Paulo Baptista, que seguem a lei à letra, está estabelecido um critério aleatório, variando de árbitro para árbitro, com toda a incerteza e toda a injustiça a que isso se presta. Anteontem o Sporting beneficiou, e sem contestação possível, de um critério estrito do árbitro nesta matéria. Mas se amanhã o critério for outro, ou for o mesmo contra o Sporting, lá virá o inevitável dr. Dias da Cunha bramar contra a arbitragem e o sistema. Esperem para ver..."


4ª Jornada (18 Setembro 2005)

Nacional 2 - Sporting 1( Olegário Benquerença - Leiria)

- Golo limpo anulado ao Nacional por pretenso fora-de-jogo. É o sistema...

- Os leões queixam-se de um pretenso penálti sobre o mergulhador Liedson. Palhaçada. Não houve penalty algum.

- Aos 32´o outro mergulhador recém contratado Deivid também tentou a sua palhaçada, mas em vão...

- Aos 70´ mais uma tentativa de enganar o árbitro, agora de seu nome Polga...deve-se treinar muito na academia estas palhaçadas...


3ªJornada ( 11 Setembro 2005)

Sporting 2 - Benfica 1 ( Paulo Costa -Porto)

- Uns foras-de-jogo mal assinalados...alguns amarelos por mostrar, e um expulsão correcta de Ricardo Rocha, só faltou mais uma expulsão lampiónica...

- 90+3´ Expulsão de Beto do Benfica por falta dura deliberada sobre João Moutinho não punida...


2ªJornada ( 28 Agosto 2005)

Marítimo 1 - Sporting 2 ( João Ferreira - Setúbal)

- Aos 57´Liedson ensaiou mais um mergulho para a piscina...mas o árbitro não foi na conversa...estas palhaçadas têm que acabar.


1ªJornada (21 Agosto 2005)

Sporting 2 - Belenenses 1( Pedro Proênça - Lisboa )

- 12´ Rochemback devia ter sido expulso, por falta perigosissima sobre Meyong...é o sistema.

- 38´ O aluno Tello tentou aplicar os ensinamentos do professor Lidson no mergulho, mas saiu-se mal...


Como dizia o outro: " É só fazerem as contas..."

terça-feira, março 21, 2006

A 2ª Circular em todo o seu esplendor...

Image hosting by Photobucket

MIGUEL SOUSA TAVARES - EXCLUSIVO

Image hosted by Photobucket.com

Dúvidas, certezas e verdades oficiais


A única certeza que o juiz-de-linha teve naquele lance é que de forma alguma poderia correr o risco de validar um golo ao Rio Ave que depois pudesse ser contestado pelo povo benfiquista.


1- Desde há muito tempo que se aprende no jornalismo a técnica para transformar um acontecimento controverso numa verdade acima de qualquer controvérsia. É fácil: distorce-se o facto, de modo a que as dúvidas suscitadas comecem por parecer sem importância, antes de desaparecerem de vez - em lugar de um facto duvidoso passa-se a ter uma certeza. Depois, a certeza é repetida como tal, tantas vezes quantas as necessárias para que se transforme em verdade - não numa verdade inquestionável, mas ao menos numa verdade que já ninguém se dá ao trabalho de questionar.

É assim que, há mais de um ano, os jornalistas benfiquistas conseguiram estabelecer a "verdade" de que a bola rematada por Petit entrou na baliza de Baía, no jogo da Luz do ano passado. Ora, a verdadeira "verdade" é que, tal como aqui o escrevi na altura, a bola deu, de facto, a impressão de ter entrado na baliza, mas nem o árbitro ou o juiz-de--linha o poderiam ter visto de onde estavam, nem, até hoje, apareceu uma única imagem ou outra prova que o pudesse confirmar com toda a certeza. E, na dúvida sobre se foi golo ou não, o que deve o árbitro fazer? Tanto quanto sei, as regras da FIFA mandam que deixe seguir o jogo.

Peguemos agora no exemplo oposto. Eu não posso também jurar que a bola cruzada pelo jogador do Rio Ave e que acabaria anteontem no fundo da baliza do Benfica (deixando-o em péssima situação, não apenas no campeonato mas no acesso à Liga dos Campeões) não estava realmente com-pletamente fora-como mandam as regras, para que pudesse ser assinalada como tal. Mas fiquei com a impressão nítida de que, de forma alguma, a bola esteve comple-tamente fora. O que mandam as regras? Que, na dúvida, se deixe seguir a jogada. O que é estranho aqui, portanto, é que o juiz-de-li-nha não tenha tido dúvida alguma. É que o único ângulo em que ele poderia ter essa certeza era estando colocado exactamente no prolongamento da linha final. Porém, acontece que, decorrendo a jogada do lado oposto, se ele estivesse no prolongamento da linha final, teria, entre ele e a bola, dois postes, dois defesas do Benfica e o guarda-redes Moretto. Ou seja: não pode ter visto nada. De onde lhe veio essa certeza ou esse instinto de levantar a bandeirola para anular um golo que a todos pareceu limpo (excepto ao Nuno Gomes, que protesta sempre com tudo...) é um mistério que, se acontecido em beneficio de outras cores, daria direito a um rol sem fim de suspeitas e declarações incendiárias dos senhores do costume.

Esta semana os jornalistas benfiquistas estabeleceram como verdade que o Benfica foi prejudicado em dois jogos consecutivos, contra a Naval e contra o Guimarães. Transformaram dúvidas em certezas, desejos ou opiniões próprias em verdades oficiais. Contra a Naval queixam-se de um penalty por derrube a Léo. Mas as imagens mostram que o jogador da Naval primeiro toca na bola e desvia-a e só depois é que a sua perna estendida derruba Léo. O que mandam as regras?

Contra o Vitória de Guimarães, queixam-se de que o golo do Vitória foi precedido de um passe feito com braço. Mas, dos cinco jogadores do Benfica à roda do lance, só o guarda-redes e Nuno Gomes protestaram (e este protesta sempre contra tudo). E o mais que as imagens, repetidas infindavelmente, mostram é que o jogador do Guimarães salta para dar com o joelho na bola e que esta, talvez, talvez, lhe tenha batido também algures na mão, no braço, no cotovelo, no ombro (há alguém que possa dizer ao certo?).

E assim, estabelecendo estas "verdades", preparou-se o terreno para Vila do Conde. A única certeza que o juiz-de-linha teve naquele lance é que de forma alguma poderia correr o risco de validar um golo ao Rio Ave que depois pudesse ser contestado pelo povo benfiquista. A mesma certeza que teve o árbitro quando conseguiu não ver nem jogo perigoso nem pé em riste, quando o Mantorras obriga o adversário a baixar a cabeça para não ser pon-tapeado e mesmo assim ainda leva com a bota dele na cara, após o remate milagroso do angolano.

Claro que a justiça também é sempre importante. Não vi o jogo contra o Guimarães, mas, nos outros dois, é incontestável que o Benfica fez o suficiente para merecer ganhar ambos, ou os adversários não fizeram nada para justificar outra coisa que não a derrota. O problema está em que foi por erros próprios, e não por culpa do árbitro, que o Benfica empatou com a Naval; e foi por culpa exclusiva do trio de arbitragem que o Benfica ganhou ao Rio Ave.

2- 0 FC Porto-Sporting de amanhã, para a Taça, é um jogo interessante por diversos motivos e tem obrigação de não trair esse interesse. O FC Porto de Adriaanse joga muito melhor futebol que o Sporting de Paulo Bento, mas, ao contrário deste, tem-se mostrado incapaz de vencer jogos decisivos. Tendo o dobro do orçamento do Sporting, é fatal que o FC Porto tenha também muito melhor equipa e muito mais e melhores soluções. Uma equipa que se pode dar ao luxo de deixar de fora, como sucedeu no último jogo, jogadores como Helton, César Peixoto, Ricardo Costa, Ibson, Diego, Jorginho, Alan, Ivanildo, Hugo Almeida ou Lisandro, todos pagos a bom dinheiro, tem obrigação estrita de ganhar amanhã e ganhar depois em Alvalade. Mas este FC Porto é uma caixinha de surpresas, para o bem e para o mal: perde quando está confiante, ganha quando está em crise anunciada, perde jogos que estavam ganhos, ataca quando não precisa, defende quando não deve.

Já o Sporting de Paulo Bento é o contrário: é previsível e seguro até à chatice profunda. Joga para ganhar e nada mais lhe interessa, como de novo se viu em Leiria. Mas cumpre os três requisitos, os três C tão caros aos treinadores portugueses: coeso, coerente e consistente - como eles gostam de dizer, e seja isso o que for. Dificilmente teremos um jogo aberto, mas vamos ter um jogo onde a vitória só interessa a ambos e vai ser interessante ver como é que cada um justifica as suas pretensões.

3- Uma coisa é forçoso reconhecer, para melhor, no FC Porto de Co Adriaanse: é a equipa mais disciplinada do campeonato. Houve agora, no Funchal, a injustíssima expulsão do Pepe, por duas faltas que não cometeu (mas o árbitro era Lucílio Baptista...) e, à parte isso, creio que é a equipa com menos cartões do campeonato, ou deve andar lá perto. Desapareceram os cotovelos, verdadeiros ou inventados, do McCarthy (e, com eles, misteriosamente desapareceram também todos os cotovelos e todos os "su-maríssimos" do nosso futebol...) e a equipa foge das faltas inúteis e do futebol violento: contra o Paços de Ferreira julgo que o FC Porto terá estabelecido um recorde na SuperLiga - oito faltas cometidas em todo o jogo!

Ninguém protesta com o árbitro, decida ele o que quiser (golo mal anulado contra o Nacional, com 0-0; penalty inexistente no último minuto contra o Braga, a custar dois pontos; penalty inexistente e amarelo absurdo ao Pepe contra o Marítimo; penalty não assinalado, contra o Paços, etc, tudo sem mais do que um levantar de braços). E o exemplo vem de cima: Co Adriaanse deve ser o único treinador da SuperLiga que até hoje nunca se queixou de uma decisão do árbitro nem justificou um mau resultado com a arbitragem; Reinaldo Teles jamais abriu a boca desde o início do campeonato; e McCarthy até teve o gesto impensável de aconselhar o árbitro a rever a sua decisão de expulsar um adversário e marcar um penalty a favor do Porto, que não tinha existido.

São coisas de que ninguém fala e é pena.

HELTON

Image hosted by Photobucket.com

Se eu fosse treinador, colocava o Helton na baliza no jogo contra o Sporting...o Vitor Baía têm feito bons jogos, mas este é um jogo talhado para o Helton penso eu de que...

segunda-feira, março 20, 2006

EU VI UM SAPO...



Fantástica arbitragem do Paulo Paraty, que substituiu à ultima hora o João Vilas Boas para fazer o serviço que o jagunço Veiga e sua escumalha encomendou. Este mesmo Paraty é o tal que almoça no Sapo com o lampião assumido Devesa Neto e onde o tema das conversas predilectas é dizer mal do FCPORTO!!!

Fantástico...um GOLO LIMPO anulado ao Rio Ave e para terminar em beleza...DEIXEM JOGAR O MANTORRAS...nem que tenha de entrar com o pé ao nivel da cabeça dos adversários para marcar golo...assim sim.

É curioso também que o Fiscal de linha que anulou o golo ao Rio Ave, Nuno Manso, é o mesmo que fez o Carlos Xistra voltar atrás no penálti no último FCPORTO - Marítimo. Como diz FS:

" O árbitro assistente Nuno Manso foi tão rápido, tão firme e hirto ao considerar que a bola estava fora antes do último cruzamento de Danielson, como o tinha sido em meados de Fevereiro ao fazer voltar atrás um penálti fantasma que só o árbitro Carlos Xistra vira no FC Porto-Marítimo. Manso foi então muito gabado; agora, os que o fizeram, estarão a engolir um sapo, pois o homem viu em Fevereiro o que milhares também viram enquanto ontem só com uma lente disforme alguém pode ter as certezas que Manso teve.

As coisas, de facto, têm tendência para andarem mais bravas do que mansas. Sei que há, quanto a sapos, uma polémica recorrente, mais da área da gastronomia do que animalesca, mas, enfim, engolir sapos parece tocar a todos - mesmo aos que ontem zurziam nos árbitros e hoje não têm alternativa a estarem caladinhos.

No futebol português os sapos são para vários gostos. Conforme os resultados, é bom de entender... "


FCPORTO 3 - PAÇOS DE FERREIRA 0

Image hosted by Photobucket.com

Golos bonitos, jovens promessas...McCarthy voltou ao seu normal...Defesa menos batida da Europa, melhor mesmo que duas épocas sob o comando de José Mourinho, quem diria...Imaginem só se tivessemos uns centrais mesmo de jeito:-)))...Só faltam 7...

TOP Marcadores FCPORTO:

Lucho 9 golos ( 1 Taça)
Lisandro 6 golos
McCarthy 5 golo ( 2 Taça)
César Peixoto 4 golos
Quaresma 4 golos
Adriano 4 golos
Hugo Almeida 3 golos
Jorginho 3 golos
Diego 2 golos ( 1 Taça)
Raúl Meireles 2 golos
Ricardo Costa 1 golo
Alan 1 golo
Ivanildo 1 golo (1 Taça)
Pepe 1 golo

TOP Disciplina FCPORTO:

Bruno Alves 1 vermelho directo, 2 amarelo (1 Taça) ( 2 jogos castigo, 2 cumpridos)
Pepe 1 vermelho: acumulação de amarelos , 6 amarelos ( Taça: 1 amarelo e 1 vermelho:a.a)
Paulo Assunção 10 amarelos ( 1 Taça)
Pedro Emanuel 6 amarelos
Quaresma 7 amarelos ( 2 Taça)
Ricardo Costa 5 amarelos ( 1 Taça)
Raul Meireles 5 amarelos ( 1 Taça)
Cesar Peixoto 4 amarelos - PERIGO DE SUSPENSÃO
McCarthy 4 amarelos ( 1 taça) - PERIGO DE SUSPENSÃO
Marek Chech 4 amarelos ( 2 Taça) - PERIGO DE SUSPENSÃO
Jorginho 2 amarelos
Sonkaya 2 amarelos ( 1 Taça)
Lisandro 2 amarelos ( 1 Taça)
Lucho Gonzalez 2 amarelo
Bosingwa 2 amarelos
Hugo Almeida 1 amarelo
Bruno Alves 1 amarelo
Ibson 1 amarelo
Diego 1 amarelo
Vitor Baía 1 amarelo

Assistências: 30309

MODALIDADES

Image hosted by Photobucket.com


HÓQUEI EM PATINS

GRUPO A: 6ª JORNADA LIGA DOS CAMPEÕES

FCPORTO 4 - FOLLONICA 4

1ºFOLLONICA 16
2ºFCPORTO 11
3ºBASSANO 8
4ºTHUNERSTERN 0

FCPORTO , FOLLONICA (ITÁLIA), NOIA (ITALIA) E REUS (ESPANHA) APURADOS PARA A FINAL-FOUR DA LIGA DOS CAMPEÕES QUE SE REALIZARÁ EM TORRES NOVAS ENTRE 5 E 7 DE MAIO.

FUTEBOL JOVEM

Image hosted by Photobucket.com


FCPORTO B

MARÍTIMO B 1 - FCPORTO B 0

1ºESPINHO 36
8ºFCPORTO B 27 (-1 jOGO)


JUNIORES A

FCPORTO Folgou...

1ºBOAVISTA 50
2ºFCPORTO 44


JUNIORES B

2ªFASE - 3ªJORNADA:

PENAFIEL 1 - FCPORTO 0

1ºPENAFIEL 9
2ºBRAGA 3
3ºCÃMARA DE LOBOS 3
4ºFCPORTO 3


JUNIORES B

2ªFASE - 1ªJORNADA:

PENAFIEL 1 - FCPORTO 3

1ºFCPORTO 3
2ºBRAGA 3
3ºBEIRA-MAR 0
4ºMARÍTIMO 0

sexta-feira, março 17, 2006

MARÍTIMO 1 - FCPORTO 2 (a.p)

Image hosted by Photobucket.com

Em primeiro lugar, quero saudar o grande BENNY!!! Já sentiamos saudades de golos decisivos.

Em segundo lugar, nem o Lucílio Calabote Baptista nos derrotou...mesmo com 10 ( curiosamente o clube dos provincianos da capital já vai em dois jogos seguidos a jogar contra 10 e nos dois casos expulsões erradas) ...mesmo com um penáti contra o FCPORTO, que dizem ( não vi nenhuma imagem) não existiu...mesmo com uma expulsão também forçada...mesmo assim conseguimos passar. Para o serviço ser completo só falta nomeá-lo para Alvalade...

Por falar em Alvalade, lá os vamos ter que derrotar duas vezes seguidas e mergulhar o clube dos Viscondes Falidos numa crise ainda maior( será possível)...a não ser que apareça o Santo protector da equipa desde que Paulo Bento assumiu o comando da equipa: a Santa APAF!!!! Ontem, segundo me disseram...mais um penálti por marcar contra o Sporting , mais a irregularidade do segundo golo lagarto, fora-de-jogo. Não há dúvida a APAF está em grande forma...

Quarta-feira, 22 Março 2006, 20h45 , RTP1 veremos...

Quanto à eliminação do clube dos provincianos da capital, compreendo que quem está a lutar para ganhar a Champions (a de lata e falta de vergonha na cara) , perder Campeonato e Taça é um mal menor...

TOP Marcadores FCPORTO:

Lucho 9 golos ( 1 Taça)
Lisandro 5 golos
César Peixoto 4 golos
Quaresma 4 golos
McCarthy 4 golo ( 2 Taça)
Hugo Almeida 3 golos
Jorginho 3 golos
Adriano 3 golos
Diego 2 golos ( 1 Taça)
Raúl Meireles 2 golos
Ricardo Costa 1 golo
Alan 1 golo
Ivanildo 1 golo (1 Taça)
Pepe 1 golo

TOP Disciplina FCPORTO:

Bruno Alves 1 vermelho directo, 2 amarelo (1 Taça) ( 2 jogos castigo, 2 cumpridos)
Pepe 1 vermelho: acumulação de amarelos , 6 amarelos ( Taça: 1 amarelo e 1 vermelho:a.a)
Paulo Assunção 10 amarelos ( 1 Taça)
Pedro Emanuel 6 amarelos
Quaresma 7 amarelos ( 2 Taça)
Ricardo Costa 5 amarelos ( 1 Taça)
Raul Meireles 5 amarelos ( 1 Taça)
Cesar Peixoto 4 amarelos - PERIGO DE SUSPENSÃO
McCarthy 4 amarelos ( 1 taça) - PERIGO DE SUSPENSÃO
Marek Chech 4 amarelos ( 2 Taça) - PERIGO DE SUSPENSÃO
Jorginho 2 amarelos
Sonkaya 2 amarelos ( 1 Taça)
Lisandro 2 amarelos ( 1 Taça)
Lucho Gonzalez 2 amarelo
Bosingwa 2 amarelos
Hugo Almeida 1 amarelo
Bruno Alves 1 amarelo
Ibson 1 amarelo
Diego 1 amarelo
Vitor Baía 1 amarelo

quarta-feira, março 15, 2006

terça-feira, março 14, 2006

DRAGÕES DE OURO - 2004/05

Image hosted by Photobucket.com


Atleta de Alta Competição: Reinaldo Garcia (Hóquei em Patins)

Atleta do Ano: Manuel Arezes (Andebol)

Futebolista do Ano: Ricardo Quaresma (Futebol Sénior)

Atleta Jovem do Ano: Cesário Vieira (Desporto Adaptado)

Atleta Amador do Ano: Rui Manuel (Bilhar)

Atleta Revelação do Ano: João Pedro (Futebol Júnior)

Treinador do Ano: Álvaro Silva (Futebol de Formação)

Funcionário do Ano: António Vasconcelos (Porto Seguro)

Seccionista do Ano: Arlindo Araújo (Hóquei em Patins)

Sócio do Ano: Fernando Pinho Teixeira (nº 49.272)

Filial/Delegação do Ano: Casa do FC Porto - Dragões do Faial

Dedicação do Ano: António Alves

Recordação do Ano: Rui Baptista (a título póstumo)

Dirigente do Ano: Joaquim Dias (Desporto Adaptado/Karaté)

Dragão de Honra: José Luís Arnaut

MIGUEL SOUSA TAVARES - EXCLUSIVO

Image hosted by Photobucket.com

Não basta ganhar


0 presidente do Benfica, digo eu, deveria talvez meditar nas razões pelas quais o seu antecessor Borges Coutinho foi campeão da Europa e pôs o país inteiro a admirar e a respeitar o Benfica.



1- Em Liverpool, Luís Filipe Vieira teve uma jornada em cheio, ganhando ao mesmo tempo em vários tabuleiros. Primeiro, e obviamente, ganhou o jogo e a eliminatória com tudo o que isso representa para o Benfica em termos de notoriedade prestígio e ganhos financeiros. Em segundo lugar, ganhou duas apostas individuais: uma, em Simão Sabrosa e na decisão de não o ter vendido em Janeiro, precisamente para o Liverpool. Quando se quer fazer carreira na Europa é essencial gerir bem o tempo certo para vender os grandes jogadores: pressionado por todos os lados, também Pinto da Costa recusou vender Deco em 2003 e isso valeu-lhe a conquista da Liga dos Campeões. A outra aposta individual ganha é, a meu ver, a de Ronald Koeman. Eu sei que muitos benfiquistas que já lhe tinham encomendado a alma antes da vitória sobre o Manchester e da recuperação no Campeonato continuam cépticos e voltaram a alimentar ás suas dúvidas ou discordâncias após a derrota com o Sporting, ou mesmo após este empate com a Naval. Mas Koeman tem mostrado que, tal como se diz dos grandes jogadores (veja-se o caso de Simão, justamente), também ele é homem dos grandes jogos. Talvez lhe falte a ciência de jogar internamente contra equipas-autocarro - uma espécie de jogo, ou de antijogo, a que, de facto, os holandeses não estão habituados. Mas nos grandes jogos, e ao contrário do seu compatriota Adriaanse, ele tem mostrado que sabe o que fazer e que nada acontece por acaso. É verdade que teve muita sorte nos primeiros vinte minutos de Anfield Road, como ele próprio reconheceu, mas a partir daí foi claro que Koeman sabia exactamente o que esperar do Liverpool e preparou-se para os enfrentar e derrotar.

Porém, não ficaram por aqui os motivos de satisfação pessoal do presidente benfiquista. Aproveitando a social opportunity da deslocação a Liverpool, ele levou consigo todos os presidentes que votam na Liga de Clubes - com excepção de Sporting, FC Porto e do próprio presidente da Liga - e deve ter trazido consigo na bagagem, a troco da viagem, de uns almoços e da oportunidade de projecção social, o número suficiente de votos para garantir que, nas próximas eleições, por si ou por pau-mandado, o Benfica passará a dominar por completo a Liga de Clubes. Sozinho, desta vez, sem necessidade de fazer sociedade com o Boavista ou o major.

Com tantos triunfos simultâneos garantidos à conta de uma simples deslocação a Liverpool, o presidente do Benfica sentiu-se imediatamente tão "confortável", como dizem os banqueiros, que desatou imediatamente a disparar sobre os não-presentes na comitiva: partiu para Liverpool com um insólito comício em pleno aeroporto, cujo objectivo era ofender o presidente do FC Porto e diminuir o presidente da Liga - o seu aliado de ontem, hoje descartável; e regressou de Liverpool para logo se lançar num descabelado e deselegantíssimo ataque ao presidente do Sporting, seu amigo de ontem, a propósito da questão de saber qual dos dois clubes estará mais falido e qual deles terá recebido mais ajudas da Câmara de Lisboa, para o respectivo estádio (aqui, eu posso ajudar, tendo feito as contas: cerca de 13 milhões de contos, em dinheiro ou espécie, recebeu o Benfica, e cerca de 7 milhões o Sporting).

Ora, este comportamento do presidente do Benfica dá que pensar, sobretudo por ter sido numa altura em que ele deveria estar bem-disposto, tranquilo, satisfeito por ver resultados do seu esforço à frente do clube. E não me custa nada reconhecer o que, aliás, já aqui escrevi anteriormente: acho que Luís Filipe Vieira tem feito um trabalho notável no Benfica. Está a ressuscitar o clube, à custa de uma dedicação incansável, como ainda agora se viu, chegando de Liverpool para partir menos de 48 horas depois para a China, ao serviço do Benfica. Além disso, tem tido ideias e iniciativas, onde anteriormente, só havia espalhafato e incompetência, e não consta que receba ordenado nem comissões ou participação nos lucros.

Só que, aparentemente, o presidente do Benfica, habituado a subir a pulso na vida, não se dá mal com o esforço, mas dá-se mal com a recompensa. Não sabe ganhar, da mesma forma que sabe lutar pela vitória. É claro e nítido que ele não quer apenas recuperar o Benfica, mas quer também mandar em todo o futebol português, através do controlo da Liga, como aliás disse desde logo. É clara e nítida a influência determinante que o Benfica já tem hoje em sectores decisivos dos bastidores do futebol (basta ver como o José Veiga se dirige aos árbitros, como se fossem seus empregados, quando não gosta do trabalho deles...). Mas parece que isso não basta: Vieira agora quererá o poder todo para si, despreza os aliados de ontem e quer ver os inimigos, não apenas vencidos no campo, mas pessoalmente arrasados. É capaz de ser palha de mais para a sua carroça.

O presidente do Benfica, digo eu, deveria talvez meditar nas razões pelas quais o seu antecessor Borges Coutinho foi campeão da Europa e pôs o país inteiro a admirar e a respeitar o Benfica. E deveria meditar naquilo que Bobby Robson, um cavalheiro do futebol, disse acerca de José Mourinho, seu antigo discípulo e actual amigo: que, se quer ser respeitado e admirado em Inglaterra, inclusive para benefício do Chelsea, não basta a Mourinho ganhar - tem também de saber ganhar, e, quando for o caso, de saber perder. O mundo inteiro acaba de ver que o Barcelona foi, em dois jogos, melhor equipa que o Chelsea e com um futebol muito mais atractivo. Só Mourinho continuou a insistir que o que fez a diferença foi a expulsão de Del Horno em Stanford Bridge - e mesmo essa, foi ele o único a não reconhecer que tinha sido justa. Independentemente da nossa fatal inclinação para estarmos sempre do lado dos compatriotas no exílio, é forçoso reconhecer que Mourinho se tem posto demasiadas vezes a jeito para levar com a enxurrada de críticas da imprensa inglesa. Certamente que muitas delas são movidas pela inveja ou pela xenofobia, mas também não há dúvida alguma de que os ingleses, alguns pelo menos, não têm o fair play como expressão de circunstância. Quando não se sabe ganhar, quando se confunde orgulho com arrogância, pode-se até ganhar tudo, mas os únicos que hão-de admirar as vitórias são os da própria tribo.

2- Numa jornada sem nenhum interesse, registei: - o chatíssimo jogo de Setúbal, onde o FC Porto só podia naturalmente vencer;

- a sétima vitória consecutiva do Sporting sobre um Boavista desfalcado e através de mais um jogo sem classe e com discretas, mas importantes, decisões favoráveis da arbitragem (as quais, passam naturalmente em silêncio, por parte dos dirigentes leoninos, sempre prontos a inversamente reclamarem aos gritos, nem que seja um canto mal decidido);

- o habitual e comovente esforço dos comentadores televisivos para desculparem as más exibições do Benfica com pretensos erros de arbitragem, cujo juízo chega a ser despudorado (olha, se fossem eles a arbitrar os jogos do Benfica!);

- a total incapacidade e falta de vontade de jogadores como os da Naval ou Setúbal - apesar de tudo, profissionais da I Liga - de terem o mínimo de cultura de futebol de ataque, com verdadeiro terror de ultrapassar a linha de meio campo e fazendo remates à baliza que envergonhariam qualquer miúdo de liceu. Se é para isto que querem estar na Superliga, mais valia não estarem.

segunda-feira, março 13, 2006

O Jagunço penhorado VEIGA têm razão...

Image hosted by Photobucket.com

O Jagunço e penhorado Veiga e Cª têm razão sobre os efeitos da reunião de Pinto da Costa com o Luís Guilherme...senão vejamos:

  • 34' PENÁLTI de Ricardo Rocha sobre Franco.


  • Diz RS: " No momento em que a bola é cruzada, Ricardo Rocha agarra o adversário, pelo que o árbitro deveria ter marcado grande penalidade."

  • 56' Franco MAL EXPULSO.


  • Diz JC: "A falta foi cometida longe da área da grande penalidade e da baliza, próximo do meio-campo. Além disso, o jogador atacante não estava enquadrado com a baliza, tinha ainda uma distância razoável a percorrer e não dominava totalmente o esférico. Aconselhava-se, por isso, o cartão amarelo e não o vermelho."

    Diz SD: "Não parece uma decisão correcta. O jogador não está enquadrado com a baliza, não tem a possibilidade de fazer golo e, atendendo à distância da baliza, o cartão amarelo era o que mais se ajustava."

    Diz RS: "O árbitro não se enquadrou bem no que a lei diz, pois deveria, sim, ter mostrado o cartão amarelo. Decisão errada, talvez por influência do árbitro assistente."


    Todos sabiamos que ao expulsar MAL o jogador do Naval e colocar a equipa a jogar 40 minutos com 10 foram instruções do PDC ao Conselho de Arbitragem...Aliás, o mesmo PDC deu instruções para penáltis contra o Sporting não serem marcados... Mas depois o circo é todo feito sobre o alegado penálti de Carlitos sobre Léo...palhaçada!!!

    SETÚBAL 0 - FCPORTO 2

    Image hosted by Photobucket.com

    Tranquilo...já só faltam 8...


    É também muito curioso verificar que o Marítimo que joga quarta-feira para a Taça com o FCPORTO, tinha 7 jogadores em perigo de exclusão caso vissem um amarelo, mas nenhum foi beliscado...e ainda conseguiram acertar em mais dois...já a mesma sorte não teve o Boavista com o lagarto Lucilio Baptista, ficou sem 4 jogagores e pelos vistos , anteontem mais um penálti não marcado contra o Sporting...aliás, se tiver tempo, irei fazer um resumo deste periodo Paulo Bento...assim até eu!!!

    Ùltima hora: Lucílio CALABOTE Baptista nomeado para o Marítimo - FCPORTO, sem tv...estamos lixados....

    TOP Marcadores FCPORTO:

    Lucho 9 golos ( 1 Taça)
    Lisandro 5 golos
    César Peixoto 4 golos
    Quaresma 4 golos
    Hugo Almeida 3 golos
    Jorginho 3 golos
    Adriano 3 golos
    Diego 2 golos ( 1 Taça)
    McCarthy 2 golo
    Raúl Meireles 2 golos
    Ricardo Costa 1 golo
    Alan 1 golo
    Ivanildo 1 golo (1 Taça)
    Pepe 1 golo

    TOP Disciplina FCPORTO:

    Bruno Alves 1 vermelho directo, 1 amarelo ( 2 jogos castigo, 2 cumpridos)
    Paulo Assunção 10 amarelos ( 1 Taça)
    Pedro Emanuel 6 amarelos
    Quaresma 6 amarelos ( 1 Taça)
    Pepe 6 amarelos ( 1 Taça)
    Ricardo Costa 5 amarelos ( 1 Taça)
    Raul Meireles 5 amarelos ( 1 Taça) - SUSPENSO DO PRÓXIMO JOGO
    Cesar Peixoto 4 amarelos - PERIGO DE SUSPENSÃO
    Marek Chech 3 amarelos ( 1 Taça)
    McCarthy 3 amarelos
    Jorginho 2 amarelos
    Sonkaya 2 amarelos ( 1 Taça)
    Lisandro 2 amarelos ( 1 Taça)
    Lucho Gonzalez 2 amarelo
    Bosingwa 2 amarelos
    Hugo Almeida 1 amarelo
    Bruno Alves 1 amarelo
    Ibson 1 amarelo
    Diego 1 amarelo

    MODALIDADES

    Image hosted by Photobucket.comImage hosted by Photobucket.comImage hosted by Photobucket.com

    ANDEBOL

    GINÁSIO DO SUL 31 - FCPORTO 31

    1ºABC 41
    2ºFCPORTO 40
    3ºBELENENSES 40


    BASQUETEBOL

    QUELUZ 99 - FCPORTO 90

    1ºOVARENSE 78,95%
    2ºFCPORTO 70%
    3ºOLIVEIRENSE 70%


    HOQUEI EM PATINS

    FCPORTO 7 - OLIVEIRENSE 2

    1ºFCPORTO 58
    2ºÓ. BARCELOS 43
    3ºBENFICA 43



    FUTEBOL JOVEM

    Image hosted by Photobucket.com


    FCPORTO B

    FCPORTO B 2 - D.SANDINENSES 1

    1ºESPINHO 33
    8ºFCPORTO B 27 (-1 jOGO)


    JUNIORES A

    FCPORTO 4 - CANDAL 1

    1ºBOAVISTA 47
    2ºFCPORTO 44


    JUNIORES B

    2ªFASE - 2ªJORNADA:

    FCPORTO 1 - BRAGA 0

    1ºPENAFIEL 6
    2ºCÃMARA DE LOBOS 3
    3ºFCPORTO 3
    4ºBRAGA 0

    quinta-feira, março 09, 2006

    A anedota do ano

    Image hosted by Photobucket.com


    Não jogam a ponta de um corno...têm uma sorte do caraças, com bolas ao poste , jogadores isolados que tiram à figura do guarda-redes, golos anulados!??!!! depois de um peru do guarda-redes...e ganham por 2-0.... A juntar a isso encontram um Campeão Europeu (que nunca o mereceu ter sido depois do banho de bola que levou do Milão) pior do que aquilo eu imaginaria e aí temos o CIRCO!!!

    A juntar a isso, temos o traficante Presidente do clube dos provincianos da capital mais preocupado em falar de Pinto da Costa no embarque para ver o jogo em Liverpool, temos o convite a todos os presidentes da lIga e liga honra para a panelinha da direccção da Liga, já ele dizia : "´E mais importante a Liga do que comprar jogadores", tivemos o Petit e João Pereira a comemorar a derrota do FCPORTO em Glasgow como denunciou ATT e ainda querem que eu seja hipócrita desejando uma vitória dos provincianos da capital?!!!???

    Também gostaria que o jagunço e penhorado Veiga viesse falar da arbitragem, depois do PENÁLTI de LUISÃO sobre Fowler na 1ªmão não marcado, ontem o mesmo Luisão jogou duas vezes a bola com a mão que aqui em Portugal costuma dar pénaltis a favor dos provincianos da capital, a juntar ao Pénalti de Simão com 0-0 mais o golo anulado depois do peru de Moreto. Mas não os ouço...

    Agora desejo que apanhem o adversário mais dificil que os possa humilhar!!! Mais nada...é uma anedota uma equipa a jogar tão pouco estar nos quartos-de-final. Um anedota!!!

    E sonham eles, especialmente o traficante lampião com as nossas conquistas recentes...


    terça-feira, março 07, 2006

    Ninguém pára o...Liverpool





    Como amanhã vou estar ausente, já estou a preparar a Champions...Ninguém pára o Liverpool, ninguém pára o Liverpool...

    MIGUEL SOUSA TAVARES - EXCLUSIVO

    Image hosted by Photobucket.com

    A lição de Madrid


    Florentino Pérez percebeu a mensagem e por isso se demitiu. 0 que seria de desejar é que a lição da sua queda fosse devidamente meditada por presidentes, agentes e jogadores. Não se esqueçam: nenhum clube sobrevive muito tempo se os donos da bola deixarem de ser os adeptos.


    FLORENTINO PEREZ foi dos melhores presidentes que o Real Madrid alguma vez teve. Eleito em 2000 para a presidência do Real, reeleito em 2004, a sua gestão chegou agora ao fim, por decisão própria e após seis anos que mudaram o clube. Quando chegou, o Real estava falido, quando saiu agora, o Real Madrid é o clube mais rico do Mundo, segundo a consultora Deloitte and Touch, que o situa mesmo à frente do Manchester United. Para aí chegar, e fazendo jus à sua fama de grande gestor de empresas, Florentino Pérez começou por congeminar a operação imobiliária com terrenos circundantes ao Estádio de Chamartin, com isso invertendo logo a situação financeira do clube. Depois, e começando com o rapto de Figo ao Barcelona, lançou-se na célebre política de contratar um "galáctico por ano". De facto, contratou mais do que isso: dezassete em seis anos - mesmo assim muito menos que alguns clubes portugueses que chegam a contratar os mesmos dezassete... em cada ano, para depois lhes pagarem grande parte do ordenado para eles jogarem por empréstimo noutros clubes. Mas Florentino só comprou do bom e do melhor: Figo, Ronaldo, Zidane, Beckham, Owen, Robinho, etc. e mais etc, num total de 400 milhões de euros de investimentos só em jogadores: 65 milhões de compras por época (13 milhões de contos!).

    Esta política, que muitos anteviram como suicidaria, teve o efeito oposto e esperado por Florentino: transformou o Real Madrid num clube milionário. O génio de Florentino Pérez foi conseguir desligar os resultados financeiros do clube dos resultados desportivos, das assistências e dos direitos televisivos. Se assim não fosse, aliás, o Real não poderia ter continuado a crescer e a sustentar os gastos com as suas vedetas: o estádio, por exemplo, já não pode levar mais ninguém e existem trinta mil pessoas em lista de espera para comprar um lugar cativo em Chamartin, o que levou a Direcção a exigir aos actuais titulares de lugares um número minímo de presenças no estádio todas as épocas, sob pena de perderem o seu lugar a favor dos que esperam. Em vez das receitas clássicas, Florentino apostou tudo no marketing e merchandising, partindo de princípio que havia cerca de 70 milhões de simpatizantes do Real em todo o Mundo e de que qualquer um deles estaria disposto a comprar uma camisola do clube com o nome de um dos seus ídolos - ou duas ou três, se o Real conseguisse ter sempre, em cada equipa, dois ou três potenciais vencedores da Bola de Ouro. Hoje, as receitas do marketing, do merchandising e dos direitos de imagem representam mais de 65 por cento do total de receitas anuais. E o mercado não pára de crescer - sobretudo a Oriente, como o Manchester United já tinha descoberto, e o que leva a equipa, todos os inícios de época, a empreender aquelas desgastantes digressões pelo Extremo Oriente, que fazem o desespero dos treinadores, mas que são uma montra vital para afirmar os interesses imperiais do Madrid naquele canto do Mundo.

    Terceiro vector decisivo desta política foi a exploração dos direitos de imagem dos "galácticos" ao serviço do Real. Florentino não se limitou a contratá-los a peso de ouro, excedendo tudo aquilo a que o mercado estava habituado, pagando o preço de um avião a jacto por um investimento patrimonial tão frágil quanto o pode ser um jogador de futebol - sujeito a lesões, a baixas de forma, a inadaptação ao clube ou ao treinador ou a excessos pessoais que limitam o seu rendimento desportivo. Além das fortunas que pagou para os contratar, Florentino aceitou pagar também outras fortunas impensáveis para os manter ao serviço: 25.000 euros por dia é um ordenado corrente no Real Madrid, para as estrelas de topo. Em troca, o ex-presidente do Real obteve dos jogadores uma joint venture para a exploração e partilha conjunta com o clube da totalidade ou quase totalidade dos seus direitos de imagem.

    As verdadeiramente grandes vedetas do futebol mundial, hoje em dia, não se limitam a explorar directamente campanhas publicitárias, que é um método que tende a saturar o público (veja-se o caso do seleccionador nacional, Luiz Felipe Scolari, que se desdobra em anúncios para tudo e mais alguma coisa, explorando até ao tutano a imagem de "patriota" português construída durante o Euro-2004). As grandes vedetas, como David Beckham, facturam bem mais ainda do que o próprio ordenado ou do que facturam em publicidade directa por calçarem determinado tipo de botas durante os jogos, vestirem determinado tipo de marcas depois dos jogos, andarem neste carro, passarem férias em tal sítio, jogarem golf no campo tal, fretarem um jacto privado de marca tal (que, obviamente, não pagam, como tudo o resto), ou até por revelarem em entrevistas que ouvem a música de Fulano ou vêem os filmes de Beltrano. Isto, para não falar dos "direitos de presença" que cobram por aparecer em festas, clubes, restaurantes, discotecas, lançamentos de produtos, ou até por desfilarem em acontecimentos de moda.

    Hoje, os jogadores de futebol de topo são muito mais do que simples desportistas ou até profissionais exemplares. São verdadeiras fábricas ambulantes da própria imagem, que vendem tão bem ou melhor do que os talentos futebolísticos. Não admira, pois, que os vejamos constantemente a mudarem de penteado, a exibirem tatuagens novas ou a vestirem roupas de modelo único, criados exclusivamente para eles. E, nisto também, há os bons e os maus, os bons profissionais, que se sabem aconselhar e seguem uma linha "trandy", e os outros, os que não têm nem gosto nem conselheiros de gosto-e de que temos abundantes exemplos no futebol português da actualidade. Claro que os ingleses, os "galácticos" do Real ou do Barça e, obviamente, os italianos, fazem isto por gosto e profissionalmente. Eles sabem, ou ensínam-lhes, o que mexe com a moda, o que atrai as atenções, o que inspira imitadores. Ainda no Man. United, David Beckham percebeu o que era necessário fazer para ser uma estrela pop, mais do que uma simples estrela de futebol: quando entrava em campo, o que primeiro tinha de atrair as atenções dos adeptos era o corte de cabelo, a cor das botas, o tamanho dos calções, a nova tatuagem. Daí que, em desespero de causa, sir Alex Ferguson tenha tido o célebre desabafo de "não sei treinar um jogador de futebol que muda de penteado todas as semanas!".

    Florentino Pérez também não sabia treinar David Beckham, mas sabia exactamente o que fazer com ele e como rentabilizar a sua imagem. Por isso, foi buscá-lo ao Manchester e começou imediatamente a facturar com a simples cerimónia de apresentação, com bilhetes vendidos para 20.000 sócios e transmissão em directo na televisão.

    Porém, na estratégia de gestão brilhantemente congeminada por Florentino só havia um senão: era preciso que, para além dos fabulosos ordenados e lucros dos direitos de imagem, os "galácticos" não se esquecessem de que tinham de continuar a treinar no duro, a fazer sacrifícios pessoais e a realizar grandes jogos para justificarem o seu estatuto de vedetas planetárias. E eles esqueceram-se. Aos olhos dos sócios e adeptos de sempre do Real, eles transformaram-se numa colecção de simples mercenários, mais procupados com o dinheiro, a fama e o exibicionismo do que com as suas obrigações contratuais perante o clube e os seus sócios. No fundo, o que os sócios recordaram a Florentino é que o essencial de um clube não são os jogadores, por mais fabulosos que sejam ou por mais vedetas que se julguem: são os adeptos, os que vão ao estádio e seguem a equipa pelos vários cantos do Mundo, os que pagam as quotas e os lugares cativos, os cachecóis e camisolas, os que, ao contrário das vedetas, serão do clube até morrer e com ele só gastam dinheiro. O toque a finados no Real foi a derrota em Saragoça por 0-4, para a Taça do Rei, e o comentário de um suplente vindo da "cantera", que, depois de ter obtido um golo para o Real, comentou que "parecia que tinha sido golo do adversário", de tal forma os seus companheiros ficaram indiferentes, sem sequer o cumprimentarem. Florentino Pérez percebeu a mensagem e por isso se demitiu. O que seria de desejar é que a lição da sua queda fosse devidamente meditada por presidentes, agentes e jogadores. Não se esqueçam: nenhum clube sobrevive muito tempo se os donos da bola deixarem de ser os adeptos.